24 de nov de 2008

Novo Modelo Econômico

O WorldWatch Institute, uma das organizações ambientais mais respeitadas do mundo, aproveitou o ensejo da crise econômica global para sugerir a criação de um novo modelo econômico. Desta vez, verde e sustentável, e não assentado no consumismo desenfreado.

Ele se basearia em princípios como eficiência energética, investimento em infra-estrutura não-poluente e fabricação de produtos mais duráveis. Enfim, em tudo o que os ambientalistas têm propagado há anos.
Mas antes que algum governante erga a mão para dizer “Ei, com a crise não teremos dinheiro para fazer as mudanças necessárias”, o WorldWatch listou de onde poderiam vir os fundos para tal investimento:


*Cortar gastos militares: segundo estimativas do Instituto de Pesquisa da Paz de Estocolmo foram gastos US$ 1,3 trilhões no passado. Só os Estados Unidos desembolsaram US$ 700 bilhões para manter tropas no Afeganistão e Iraque


*Dinheiro do petróleo: os países que detêm as maiores reservas petrolíferas poderiam investir suas fortunas em negócios verdes. Seriam entre US$ 2 trilhões e US$ 3 trilhões por ano. Os subsídios destinados aos combustíveis fósseis poderiam se tornar um fundo de incentivo à tecnologias limpas


*Taxa verde: implantar uma taxa de comércio internacional, que movimenta cerca de US$ 3,7 trilhões por dia. O WorldWatch sugere até um nome para o imposto: Taxa de Tobin, em referência ao economista que propôs a idéia, James Tobin


*Seguradoras: são as mais afetadas pelas catástrofes naturais, agravadas pelas mudanças climáticas. Nas últimas duas décadas, gastaram US$ 1,4 trilhão. Um incentivo e tanto para contribuir com um novo modelo econômico.


Para quem duvida que levantar tal soma de dinheiro seja possível, o WorldWatch lembra que os Estados Unidos reuniram US$ 700 bilhões em questão de dias para evitar falências.

É uma questão de prioridade.



3 comentários:

Mimirabolante disse...

Gosyei muito da sua postagem.....Interessante...Tomara que este Novo Modelo Econômico seja seguido e tenha todos os efeitos esperados e desejados.

Eduardo Meireles disse...

o texto é realmente muito interessante... se importa se eu postá-lo no meu blog também?

em complemento a este texto, vou sugerir aos seus leitores que leiam o texto "Desenvolvimento Sustentável" no meu blog, aonde eu aponto a importância da diminuição do consumo e do consumismo para se atingir o tão cobiçado desenvolvimento sustentável, explicando o termo do glossário ambiental 'Fator 10'.

o link para este texto é:
http://emeireles.blogspot.com/2008/10/desenvolvimento-sustentvel.html

Um abraço

Arte&Reciclagem disse...

Opa, fique a vontade Eduardo, a ideia é divulgar mesmo ! E se aprendessemos a consumir menos seria maravilhoso. As pessoas confundem "ser feliz" com "ter coisas", e não tem nd a ver uma coisa c/ a outra. Pq podemos ser felizes com coisas muito mais simples.

Gde abraço