9 de jan de 2009

Fibra de Coco para Salvar o Xaxim



Ameaçado de extinção e protegido por lei desde 2001, o xaxim continua sendo extraído irregularmente na Mata Atlântica – onde também se encontra uma alternativa promissora: o coco verde. A fibra reciclada do fruto tem se mostrado um substituto altamente satisfatório para o cultivo de flores e plantas ornamentais.


Sob a coordenação da professora Janie Mendes Jasmim, uma equipe de pesquisadores do Laboratório de Fitotecnia da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (Uenf) desenvolve o projeto Tecnologias para a produção de plantas ornamentais e flores no Rio de Janeiro com uso de fibra de coco verde, apoiado pelo governo do estado através de um programa da FAPERJ.


O grupo pesquisa a aplicação da fibra de coco na composição de substrato para espécies ornamentais, como bromélias, palmeiras, ravenalas e orquídeas, e na confecção de artefatos como vasos, placas e tutores (palitos) para o cultivo de plantas, semelhantes aos feitos com xaxim.


Pesquisas demonstram que a fibra de coco tem boas características físicas – como retenção de água, porosidade, densidade – e, quando usada em mistura com substrato comercial, melhora estas características, inclusive tornando o material mais leve. Além disso, o procedimento reduz o custo de aquisição de substratos comerciais industrializados e ainda ajuda a eliminar um resíduo abundante - a casca de coco. “A utilização da fibra para produzir vasos e outros artefatos é uma forma de se agregar valor às propriedades que cultivam e beneficiam o coco verde engarrafando sua água. É uma maneira de se gerar renda eliminando o lixo”, resume a pesquisadora.

A pesquisa está publicada na revista Horticultura Brasileira, edição de janeiro/março de 2004.




FAPERJ - Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro


2 comentários:

Mimirabolante disse...

Que ótimo !!!Eu já vi e achei muito legal !!!!

Mimirabolante disse...

Ah !!!Já comprei tbm e dei para minha mãe.....