23 de jan de 2009

Vitela ou Baby Beef – o que você não vê !



"Milhares de bezerros são mortos, criados em gaiolas minúsculas para que não desenvolvam nem enrijeçam músculos, a fim de serem abatidos e vendidos como VITELA ou BABY BEEF, que é considerada uma carne nobre por sua maciez.
A vitela é apreciada em todo o mundo. Conseqüentemente, é uma das comidas mais caras que se conhece, o que estimula a ambição dos criadores.
Assim que nascem, as pequenas vacas são retiradas da presença da mãe e isoladas em compartimentos individuais onde recebem um banho frio e passam a se alimentar com leite fornecido não em tetas, mas em recipientes ou canaletas. O ato de sugar, importante para esses pequenos seres, não lhes é permitido, o que produz um alto índice de ansiedade. Costumam então sugar qualquer coisa que lhes é dada, como dedos, pontas de roupas, etc.
Confinamento: Sua carne deve ser branca e macia. Para isso é necessário que os músculos dos animais não se tornem avermelhados, como os tecidos de vacas adultas. A técnica de produção da vitela mostra que é preciso evitar a atividade muscular para impedir a oxigenação dos músculos. Para isso, os animais devem ser mantidos em pequenas celas que impeçam seus movimentos. Depois de um tempo, os animais são forçados a permanecer em pequenos currais individuais onde somente conseguem ficar de pé com o pescoço virado para a direita ou para a esquerda. Em dias alternados, funcionários mudam a cabeça do animal cada dia para um lado. Raramente têm a cabeça voltada para frente com o pescoço esticado, pois isso permitiria a movimentação dos músculos do pescoço. Esse processo é mais comum algumas semanas depois do nascimento.
Alimentação: Ainda para evitar o tingimento dos músculos, os bebês são forçados a uma dieta completamente isenta de ferro, o que lhes provoca uma fraqueza profunda. A ausência do mineral em seus corpos produz uma grande ansiedade por tudo aquilo que possa conter ferro, mas até a água que lhes é fornecida é desmineralizada, por isso os animais lambem pregos e material metálico das celas e até mesmo sua própria urina.

O sofrimento do bezerro: Visitar uma área de criação de vitela é como estar em um campo de concentração infantil. Os novilhos olham para os visitantes e se aproximam como quem pede ajuda. Tentam sugar dedos ou pedaços de roupas, enchem os olhos de lágrimas e emitem sons guturais estranhos. Esse sofrimento não dura mais que três meses, quando já estão prontos para o abate. São então levados para um local onde são cruelmente mortos , em geral com um corte profundo na jugular, para perder todo o sangue lentamente.

Paladar refinado?: Todo ano, só nos EUA cerca de um milhão de bezerros são mortos para servir aos refinados apreciadores de uma boa carne.(!?!) O hábito de comer vitela começou provavelmente quando vacas grávidas morriam e serviam de refeição. Percebeu-se que o feto tinha uma carne de textura muito tenra. Depois vieram os métodos para manter a carne do bezerra macia por mais tempo. Por isso hoje se consegue essa façanha com animais de até três meses de idade. Muitos deles morrem antes de completar três meses de nascidos, alguns por infecções (uma vez que seu sistema imunológico é frágil devido à anemia), outros por doença de causa desconhecida. Apresentam diarréias constantes e ficam cada vez mais tristes, até se entregar à morte libertadora. Sua carne, mesmo nesses casos, é direcionada para os restaurantes.
Vacas e seus bezerros: Vacas são mães atenciosas e sensíveis. Basta ver como lambem carinhosamente as suas crias e como essas necessitam da companhia de suas mães. Não se permite nem ao menos que as vacas vejam a sua cria, pois do contrário não conseguiriam permanecer tranqüilas. Elas costumam agitar-se e gritar desesperadamente quando são afastadas do filhote. E assim começa uma das maiores crueldades que o ser humano pode cometer contra os animais: a indústria da vitela. "
Por essas e por outras é que parei de comer carne vermelha !



7 comentários:

Mimirabolante disse...

sem comentários......

Eduardo Miguel disse...

- Chocante, repugnante!!! bom para acordar, tratamento de choque.

Lu Otoni disse...

Infelizmente o ser humano acredita que somente ele tem alma, por esse motivo se tem uma imensa carnificina, a hipocrisia já está empregnada em sua carne, para retirá-la, talvez demore muito ou pior, não aconteça ....

Lu Otoni disse...

Infelizmente o ser humano acredita que somente ele tem alma, por esse motivo se tem uma imensa carnificina, a hipocrisia já está empregnada em sua carne, para retirá-la, talvez demore muito ou pior, não aconteça ....

Anônimo disse...

meu de boas.....eh a lei da selva,matar por matar eh maldade,agora matar pra comer eh o natural ,o 1 alimento do ser humano foi a carne crua e logo com a dewscoberta do fogo o chrrasco....vc pode ter certeza q se um dia vc se deparar com um leao faminto ele naumv vai pensar em polpar sua vida por doh,ele vai logo te abocanhar ..uahahaa...COME CARNE EH BOM,SOU UM CARNIVORO COMPULSIVO,E EH DA NATUREZA....

Arte&Reciclagem e ReceitasSaúde disse...

Anonimo, na verdade não sou contra o consumo de carne para alimentação, sou contra os maus tratos e a falta de respeito com q esses animais são tratados, confinados, eles não são tratados como seres vivos e sim como bens de consumo. Mas sentem dor, sofrem como nós. E o texto trata exata/ disso, vc leu direito rs? Abraço

Anônimo disse...

é inacreditável.dificil de olhar e não poder fazer nada.homem, animal desde os tempos das cavernas.sinto não poder ajudar estas criaturas que alem de ter pouco tempo de vida o tempo que vivem é sacrificado enjaulados em cubiculos,só saem para a morte.muita enjustiça.