14 de fev de 2009

Enchente X Doenças

“Na época de muitas chuvas e enchentes, como atualmente, a leptospirose é a doença infectocontagiosa mais temida”, avisa o médico Antônio Carlos Seguro, chefe da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Instituto de Infectologia Emílio Ribas. Para prevenir-se da leptospirose e outras moléstias infectocontagiosas, a Secretaria de Estado da Saúde divulga algumas informações importantes.
Um dos cuidados necessários é evitar o contato com a água suja das chuvas, que carregam bactérias e vírus. Quem tiver a casa ou o estabelecimento comercial invadido pela água das enchentes precisa se acautelar na hora da faxina. Use luvas e botas ou sacos plásticos para proteger as mãos e os pés, recomenda o médico infectologista Jean Gorinchteyn, do Emílio Ribas. Ele aconselha jogar água sanitária diluída antes de arrastar a lama.
Segundo o especialista, é preciso deixar roupas, sapatos e tapetes expostos ao sol, para matar as bactérias, e só depois lavá-los. Descarte remédios e alimentos que tiveram contato com a água da enchente.
Referência – Antônio Seguro, intensivista do Emílio Ribas, acrescenta a necessidade de proteger também ferimentos do corpo, a boca, o nariz e a mucosa. A leptospirose, doença causada por bactéria encontrada na urina do rato, pode estar na água da enchente. O médico recomenda cuidado especial ao coletor de lixo, pedreiro e pintor, pois eles estão expostos ao risco de contaminação. “O teto da casa, por exemplo, pode ter urina de rato contaminada”, avisa o intensivista. Antônio Seguro diz que a leptospirose é a doença mais preocupante porque, em geral, 10% dos casos são graves. Os pacientes contaminados apresentam insuficiências respiratória e renal, hemorragia pulmonar e internam-se na UTI, onde permanecem até 30 dias, sob cuidados especiais, tomando antibióticos. Nos casos mais leves, o doente fica internado até uma semana.
O primeiro sinal da doença assemelha-se a simples gripe, mas a pessoa urina demais e os olhos ficam amarelados. “Se apresentar tais sintomas, procure o médico imediatamente, relate o que sente e não deixe de falar que teve contato com alagamento”, frisa Seguro.
Nos casos graves, é preciso intervir rapidamente e oferecer diálise ao paciente. “Solicito aos colegas da rede municipal que contatem nossa UTI caso precisem de esclarecimentos sobre o tratamento. O Hospital Emílio Ribas é referência em doenças infectocontagiosas”, informa. Em janeiro, a instituição recebeu quatro doentes graves que foram encaminhados para a UTI.
Previna-se contra hepatite A e diarreia
O exame para diagnosticar a leptospirose pode demorar até uma semana. Por isso, é indispensável que os médicos tenham conhecimentos necessários para agir com base apenas na suspeita clínica e, dessa forma, iniciarem o tratamento imediatamente.Outra doença que costuma incidir na época de chuvas é a hepatite A. As enchentes também aumentam o risco de diarreia aguda, causada por bactérias, vírus e parasitas, além da febre tifoide, cuja bactéria salmonella typhi é encontrada nas fezes de animais.
Viviane Gomes - Da Agência Imprensa Oficial



http://www.saopaulo.sp.gov.br/sis/lenoticia.php?id=102764

2 comentários:

Daniela Lima disse...

é preocupante, conheço 2 pessoas q faleceram devido a lepto!!

Meu blog não está att na sua page devido a mudança do domíniiiioo!

Eduardo Miguel disse...

- Só para variar sempre atenta á tudo e prestando serviço com suas dicas... muito legal isso parabéns e deixo um abraço grande, força e bola pra frente!