29 de jan de 2014

COM QUE PANELA EU VOU?



Faz tempo que me faço uma pergunta: a panela aonde cozinhamos pode afetar efetivamente a qualidade do que comemos?
Alguns estudos dizem que sim, vamos a eles:

-Segundo uma pesquisa realizada pela Escola de Engenharia de São Carlos (da USP), as panelas de alumínio e aço inox podem liberar metais durante o cozimento e afetar nossa saúde. " nestes recipientes é maior a transferência do alumínio (metal tóxico) para a água, e desta para os alimentos. No processo de cozimento do arroz e do feijão, a engenheira Elaine Cristina Bocalon encontrou quantidades excessivas do metal."

"A grande quantidade de alumínio pode trazer vários danos à saúde humana. "Esse metal causa inflamações, seu vapor afeta gravemente os pulmões e há estudos que mostram uma concentração de alumínio no cérebro de pessoas que morreram com mal de Alzheimer", explica Elaine."

Apesar disso, o aço inox tem algumas vantagens: ele também passa nutrientes como cromo e ferro. Além disso, não houve transferência de níquel, que é tóxico. 


A pesquisadora faz outras recomendações, como adicionar o sal apenas após o cozimento dos alimentos; evitar utensílios de alumínio, especialmente as pessoas que sofrem de insuficiência renal crônica; evitar esquecer panelas no fogo e preferir os recipientes de teflon ou aço inox. 


Leia mais sobre aqui

-Mas há quem diga que apesar dessas panelas soltarem partículas, não oferecem risco à saúde:
"Pesquisas provaram que a quantidade de alumínio liberada pelas panelas é muito pequena, incapaz de ter esse efeito devastador sobre a saúde", afirma Daniel Magnoni, cardiologista e nutrólogo do Hospital do Coração e do Instituto Dante Pazzanese, de São Paulo. Segundo estudo feito pelo Instituto de Tecnologia de Alimentos, em Campinas, alimentos preparados em panelas de alumínio contribuem com apenas 2% do limite máximo de ingestão diária do metal (1 miligrama por quilo de massa corporal), dose mais do que segura, na avaliação da Organização Mundial da Saúde (OMS). "


Conclusão: panelas de alumínio trazem perigo zero para a sua saúde. "Mas nem por isso são a opção mais saudável para cozinhar", afirma a nutricionista Roseli Rossi. Outros tipos de panela, como a de vidro, são melhores, porque evitam a proliferação de bactérias e não transferem resíduos para os alimentos.



E as panelas de ferro, como ficam?



A voz do povo costuma recomendar o uso da panela de ferro, que ajudaria na prevenção da anemia. Mas, na opinião da nutricionista Roseli Rossi, trata-se de uma solução pouco prática. "Não é uma panela fácil de usar. O cozimento é demorado, os alimentos grudam e é difícil de limpar. Em caso de carência de ferro, é muito mais cômodo caprichar na alimentação, ingerindo alimentos ricos nesse nutriente, como carnes, folhas verdes e grãos, ou tomar um suplemento", diz. A nutricionista alerta para outro problema: nem sempre o ferro faz tão bem assim à saúde. "O excesso de ferro está associado a males cardíacos", diz.
Outros tipos de panelas:
 1. DE VIDRO
Evita a proliferação de bactérias e não transfere resíduos para os alimentos.





2. ESMALTADAS E ÁGATA
O revestimento de esmalte age como barreira contra bactérias e a limpeza é fácil.


3. ANTIADERENTES
A camada de Teflon evita que o alimento grude. O material esteve sob suspeita de ser cancerígeno – o que não foi confirmado. 


4. CERÂMICA E BARRO
O cozimento é lento, mas a comida fica quente por mais tempo. Peças de baixa qualidade podem soltar chumbo, que causa intoxicação.


5. INOX
Feitas de liga de ferro, cobre e níquel, permitem cozimento uniforme, sem grudar. Mas podem liberar os metais de sua composição, provocando alergias.





A Ecycle também fez uma matéria sobre panelas, veja aqui


Eu, na dúvida prefiro ir substituindo os utensílios de alumínio por outros materiais considerados mais seguros, mas sem pânico. Afinal, seguro morreu de velho.

Nenhum comentário: