7 de jul de 2015

COMO ASSIM ECONOMIA COMPARTILHADA ?

Afinal de contas, o que é essa tal de Economia Compartilhada? 

Busquei algumas definições pra tentar entender e dividir aqui, e basicamente compreendi que se trata de uma nova forma de fazer negócios, uma espécie de troca, escambo, algo assim. Ela quebra a forma tradicional de comércio, é uma nova mentalidade que acredito que veio para ficar e que irá revolucionar o mundo de forma irreversível. Eu vejo como uma coisa boa, cria novas formas de mercado, sem burocracia, acessível para todos e mais sustentável. E porque mais sustentável?

Porque remete aos primórdios da economia, onde as pessoas trocavam coisas (escambo). Muda a forma de encarar um produto, muda o foco. Se antes era baseada no desejo, ela passa a se basear na necessidade. E esse novo jeito de ver os produtos reflete positivamente no meio ambiente e no uso dos recursos naturais. Ex: se você der carona a preços honestos, você polui menos e ainda ganha uma graninha. Se você faz o mesmo trajeto de carro todos os dias pra ir trabalhar e compartilha esse trajeto com alguém, você se ajuda, ajuda o outro e ainda melhora o trânsito!

Olha essas definições:

"Esse tipo de economia foi motivado por startups e entusiastas de tecnologia, dando início a uma nova forma de consumo que prefere alugar, pegar emprestado ou compartilhar à comprar. Essa ideia está ligada ao movimento minimalista que descarta a posse de bens, exceto os essenciais."    Show !!! Tudo a ver com o momento mundial.

"A economia compartilhada permite transações de pessoa para pessoa, e atualmente movimenta bilhões nos EUA."    Que bom que inventaram uma saída para o círculo vicioso do consumismo !

"A economia compartilhada é uma espécie de tendência nos hábitos dos consumidores, de dividir o uso (ou a compra) de serviços e produtos, em uma espécie de consumo colaborativo. Ou seja, em alguns casos pode-se falar mesmo em um novo modelo de consumo."

"Esse novo tipo de economia desafia os modelos tradicionais de negócio. De uma hora para outra há mais concorrentes, com novas estruturas de negócio, com preços competitivos e qualidade, e que pressionam a atividade regulatória do Estado. Na Europa em particular, o modelo está em franca ascensão, com forte apelo da mudança comportamental no consumo."

"Exemplos de economia colaborativa: Airbnb, sistema de aluguel de acomodações (na casa das pessoas), funcionando em mais de 190 países, que tem desafiado o setor de hotelaria; e o caso do Uber, serviço de carona ou de compartilhamento de viagens, que tem provocado ampla resistência dos serviços de táxi em inúmeras cidades."

"Por destruir um mercado antigo para criar um novo, a economia compartilhada enfrenta resistência. Negócios tradicionais acusam essas empresas de ilegalidade, competição desleal (por não pagar os mesmos impostos), de oferecer riscos à segurança dos usuários e criar um modelo que trará desemprego."

“As leis de hoje foram criadas em uma época em que celulares e aplicativos não existiam, e beneficiam indústrias estabelecidas, e não o consumidor”, disse o chefe de comunicação do Uber, Lane Kasselman. “O que fazemos é algo totalmente novo. Apoiamos que exista regulamentação, mas antes pedimos para os governos atualizarem a legislação e reconhecer que há uma nova indústria”, afirma. 



 (Foto: Revista Galileu)



http://revistagalileu.globo.com/Revista/noticia/2015/02/pode-confiar.html

http://educandoseubolso.blog.br/2015/04/20/economia-compartilhada-entenda-o-que-e-e-como-funciona/

http://blogs.estadao.com.br/link/startups-bilionarias-impulsionam-a-economia-compartilhada-na-internet/

https://pt.wikipedia.org/wiki/Economia_do_compartilhamento

Nenhum comentário: